Mês: Abril 2017

Exibição da Peça Teatral

Data: 14/abr/2017

Hora: 18:00 – 19:00

Espaço/Sala: Espaço Praça

Actividade: Exibição da Peça Teatral

Publico alvo: Livre ao público

Descrição: Para comemorar o dia Internacional do Teatro, faremos apresentação da peça teatral

Áreas Envolvidas: Departamento de Eventos/Maker Space/direcção administrativa

Parceiros: Grupo de Teatro”XX”

Forma de Entrada: 200 Kzs

Concretização: Adiado

FÁBRICA DE SABÃO, O PRIMEIRO CENTRO DE INOVAÇÃO DE ANGOLA, VAI IMPULSIONAR A MUDANÇA SOCIAL

 

Luanda, Angola, 6 de Setembro de 2016 – O primeiro centro de inovação de Angola, a Fábrica de Sabão, organizou um dia de Portas Abertas para o público experienciar e aprender de que forma podem ser parte de um ecossistema emergente de inovação e empreendedorismo com base nas necessidades em Angola. Pensada para ultrapassar os desafios educacionais e para conduzir a inclusão sócioeconómica e o crescimento a todos os níveis da sociedade, a Fábrica de Sabão oferece aos Angolanos um espaço para conectar, aprender, criar e fazer crescer.

Estando o país à procura de novas formas de diversificar a sua economia e de acelerar a criação de emprego, este centro oferece uma abordagem inteiramente fresca para as oportunidades pela inovação, para os Angolanos. A Fábrica de Sabão é um centro híbrido entre incubadora e acelerador, espaço de trabalho partilhado e local para criar. É ainda um elo de ligação cultural e muito em breve, terá a sua própria rádio local e um programa de residência para mentores visitantes e artistas.

Situado no coração do Cazenga, com cerca de 800.000 habitantes e uma densidade populacional de 23.000 pessoas por quilómetro quadrado, a construção deste centro iniciou-se em Julho de 2015. As fachadas internas e externas da velha fábrica de sabão, bem como as áreas circundantes do bairro, passaram por uma grande reformulação para se tornarem instalações de um local seguro, criativo e propício para a mudança social sustentável. Até à data, cerca de 200 crianças e jovens da comunidade têm estado activamente envolvidas em workshops desde formação técnica para utilizar impressoras 3D ou máquinas CNC, manufactura urbana, arte, desporto e aprendizagem de línguas. Professores de escolas locais juntaram-se à rede de trabalho voluntário do centro para levar a fim muitos dos programas.

Os líderes da comunidade também expressaram como a Fábrica de Sabão está a impactar positivamente a comunidade. “Estamos encantados com esta nobre iniciativa que tráz dignidade ao nosso bairro e esperança num futuro melhor para os nossos filhos. Durante

muito tempo, a nossa comunidade batalhou com o problema do lixo e da delinquência que era praticada nas instalações da fábrica de sabão abandonada, colocando em perigo a nossa saúde e segurança. Estamos certos de que as iniciativas que têm lugar aqui não só irão contribuir para a educação dos nossos jovens, mas também promover o desenvolvimento da nossa comunidade e do país como um todo”, refere José António Guerra, Presidente do comité do bairro de São João, Zona 17, Sector I.

Jean-Claude Bastos de Morais, o fundador, menciona que “eu acredito que a necessidade e a criatividade são os condutores da inovação, especialmente numa comunidade como Cazenga, na qual a juventude é extremamente capacitada, sedenta por conhecimento e receptiva a novas formas de aprendizagem. Em última instância, é sobre reduzir o fosso entre a economia formal e informal gerando oportunidades iguais para o lançamento de uma cultura de lançamento de empresas inovadoras em fase de arranque, em Angola. Através da Fábrica de Sabão, estamos a formar as comunidades locais para se tornarem nos seus próprios criadores, designers, produtores e fabricantes.”

O centro compreende inúmeros contentores marítimos que foram transformados em escritórios completamente equipados, espaços de trabalho e salas de reuniões. Empresas, startups e empreendedores podem arrendar estes contentores por uma taxa nominal ou usar os espaços de partilhados. O objectivo é criar uma cultura colaborativa, onde ideas e conhecimentos possam ser trocados e polinizados para oportunidades de negócios sustentáveis, de Angolanos e para Angolanos.

O terreno da área envolvente foi limpo para fins agrícolas, que permitirão à comunidade criar a sua própria cadeia de abastecimento para ervas, frutas e vegetais. O centro terá ainda o seu espaço próprio para o desporto e um Mercado, para a comunidade.

A Fábrica de Sabão reunirá especialistas e mentores de todo o mundo para partilharem conhecimentos, aproveitarem ideias criativas em resultados tangíveis e ajudarem a lançar negócios sustentáveis em Angola. Para saber mais sobre a comunidade da Fábrica de Sabão, visite www.fabricadesabao.co.ao

-FIM-

Sobre a Fábrica de Sabão

No local onde antes existiu uma fábrica de sabão abandonada, existe agora um centro de inovação e empreendedorismo vibrante, sustentável e emergente. A Fábrica de Sabão (FdS) é o primeiro centro de inovação pensado para os angolanos se conectarem, aprenderem, criarem e crescerem. É um ecossistema pensado para ultrapassar os desafios educacionais e para conduzir a inclusão sócioeconómica e o crescimento a todos os níveis da sociedade. A Fábrica de Sabão oferece aos angolanos um espaço para conectar, aprender, criar e fazer crescer. A FdS é um centro híbrido entre incubadora e acelerador, espaço de trabalho partilhado, local para criar e uma plataforma de trocas culturais que muito em breve, terá a sua própria rádio local e um programa de residência para mentores visitantes e artistas.

Desde fomentar as jovens empresas africanas em fase de arranque a apoiar nichos de manufactura urbana, o centro irá reunir especialistas e mentores de todo o mundo para partilharem conhecimentos, transformarem ideias criativas em resultados tangíveis e ajudarem a lançar negócios sustentáveis em Angola.

A FdS é fruto de uma parceira Público-privada angolana. O Ministério da Indústria cedeu à Kijinga, a empresa local de investimento de impacto social, de propriedade do Fundo Soberano de Angola, a concessão das estruturas da antiga fábrica de sabão e esta por sua vez, arrendou a Kabassa, uma empresa privada, para desenvolver o centro de inovação de Angola.